MERCEDES-BENZ

Seus automóveis são o sonho de consumo da maioria dos mortais que habitam este planeta, um forte simbolismo representado pela grade do radiador com sua grande estrela prateada no centro. Um MERCEDES-BENZ é destinado a quem tem paixão por automóveis e por todos os valores que a marca agrega. Desempenho, segurança, conforto, requinte, durabilidade e respeito ao meio ambiente consagraram a marca em todo o mundo. E fazem dela, vanguarda na criação e no desenvolvimento de carros de passeio. Antecipando sempre o futuro do automóvel.

Para contar a gloriosa história da marca MERCEDES-BENZ é preciso primeiro entender quem foram os homens responsáveis pelo seu surgimento.

KARL FRIEDRICH BENZ - Nascido em 1844, é considerado o criador do primeiro veículo movido à combustão interna na cidade de Mannheim na Alemanha, onde matinha uma pequena oficina. Isto porque, no dia 29 de janeiro de 1886 ele apresentou o pedido de registro de marca de patente em Berlin para seu triciclo (Patent-Motorwagen) com tração nas rodas traseiras, monocilíndrico, com 984 cc de potência e que desenvolvia uma velocidade máxima de 16 km/h. Além disso, o veículo incorporava na época muitas soluções ainda utilizadas nos veículos modernos, como refrigeração à água, ignição elétrica e diferencial. Desde então, este dia é considerado o aniversário oficial do automóvel. O primeiro automóvel de quatro rodas de Benz, o Victoria de 1892, foi também a base para a criação do primeiro ônibus e perua, construídos em 1895. O primeiro automóvel com produção em série foi o Benz Velo. Em 1898 foram usados pneus de borracha no Benz Comfortable e em 1899 no primeiro carro de corrida. A Benz & Co, não só se tornou a primeira linha de montagem como também a maior do mundo no início do século XX. Em 1903 surge o Benz Parsifal inspirado nos conceitos de design dos automóveis Mercedes de Daimler.

GOTTLIEB DAIMLER - Nascido em 1834, formou-se engenheiro aos 25 anos na Escola Politécnica de Stuttgart. Associou-se ao Sr. Wilhelm Maybach (grande projetista, criador dos clássicos e legendários automóveis Maybach) e produziram em 1885 a primeira motocicleta do mundo. Em 1886, alguns meses após o surgimento do triciclo de Benz, eles construíram a primeira carruagem movida a um motor refrigerado a ar. Em 1890 ele fundou a Daimler Motoren-Gesellschaft (conhecida como DMG). Em 1893 por motivos de rivalidades entre os sócios Daimler e Maybach se desligam da empresa. De volta a empresa em 1895, eles produziram o Phoenix em 1897, primeiro automóvel com motor frontal. Dois anos depois veio o primeiro motor 4 cilindros de 28 cv.

O pioneirismo desses homens fez com que colecionassem outras conquistas como a construção do primeiro ônibus, do primeiro caminhão com motor a gasolina e do primeiro caminhão a diesel do mundo.

Em 23 de junho de 1902 o nome MERCEDES é registrado como marca e, pouco depois, em 26 de setembro, estava protegido legalmente. Surgiu de uma referência à Mercedes Jellinek, filha de Emil Jellinek, um comerciante austríaco apaixonado por carros e cliente fiel de Gottlieb Daimler. O nome Mercedes identificava os carros encomendados por Jellinek, um entusiasta do automobilismo e consagrou-se a partir das vitórias obtidas nas pistas. Com a fusão das empresas Daimler-Motoren-Gesellschaft e Benz & Co, em 1926 uniram-se também as duas marcas: a estrela de três pontas, que identificava os automóveis Mercedes fabricados por Daimler, e a coroa de louros, que caracterizava os de Benz. Surgia assim oficialmente a MERCEDES-BENZ.

As duas primeiras criações de Daimler-Benz foram os modelos Stuttgart 8/38PS, e o Mannheim 12/55PS. Em 1927 surgiu o primeiro Mercedes-Benz modelo S, de Sportlich (esportivo em alemão), sigla adotada até hoje no S Class, seguido pelo SS (Super Sport) e SSK (Super Sport Kurz, desenvolvido pelo lendário Ferdinand Porsche) introduzidos em 1928. Foram esses modelos que estabeleceram a reputação luxuosa dos automóveis MERCEDES-BENZ. Certamente os modelos mais admirados e desejados dessa época foram os modelos 380, 500K e 540K surgidos respectivamente em 1933, 1934 e 1936.

Em 1943 a produção de automóveis e utilitários para a guerra foi privilegiada em detrimento da produção dos carros de passeio. Trabalhadores forçados foram também utilizados em diversas fábricas da Daimler-Benz AG. A fábrica de Sindelfingen foi bombardeada em 18 de julho de 1944. Foram destruídos quase 80% dos prédios e instalações, além de 50% das máquinas existentes. A fábrica foi atingida por aproximadamente 20.000 explosivos e bombas incendiárias. Em 1945 a fábrica foi totalmente reconstruída tendo em vista as novas tendências de design e modernização dos automóveis para os próximos anos.

Logo após o fim da Segunda Grande Guerra, em 1946, Daimler-Benz reiniciou a fabricação de seus automóveis. O modelo inaugural do pós-guerra foi o 170, um automóvel idêntico ao do ano de 1936 com algumas pequenas revisões. Nesta época a economia alemã estava se recompondo e necessitava de automóveis populares e econômicos. O modelo tinha um desempenho adequado com um motor 4 cilindros em linha. Por volta de 1950 a MERCEDES-BENZ estava produzindo aproximadamente 800 carros por semana. Com a recuperação da economia alemã, novos modelos mais potentes eram desejados pelos consumidores. Assim surgem em 1951 os modelos, 220, 300 e 300 S.

Em 1953 foi lançado o modelo 180, conhecido no mundo como ‘Mercedes Ponton’. Os seus sucessores foram o modelo 190 e o 220 S, surgidos em 1956, e o modelo 220 SE (que já possuía injeção mecânica de combustível Bosch) em 1958. Os modelos mais cobiçados da década de 50 foram o 300 SL coupe, surgido em 1954, roadster (1957) e o 190 SL roadster (1955). Com o modelo 300 SL coupe a MERCEDES-BENZ retornou às pistas de corridas com vitórias seguidas e importantes. Sendo o primeiro automóvel em produção a ser equipado com injeção mecânica de combustível, recém-desenvolvida pela Bosch, o carro era muito rápido e resistente. Em 1960 surgiu uma nova linha de sedans conhecida como rabo-de-peixe, desenvolvida para atender ao gosto dos consumidores americanos. Para substituir os sedans da década de 60 surgiram, em 1973 e foram até 1980, os novos W116 sedans ou 280 S, 280 SE, 350 SE, 450 SE e 450 SEL. Foram construídos para serem os melhores veículos do mundo em sua categoria e realmente o foram.

Para a década de 80 a linha de sedans de luxo da montadora, os modelos S (ainda não se havia criado o conceito de classes na linha MERCEDES-BENZ) foram totalmente remodelados e seguiram majestosos até a década de 90. Mas a grande revolução da década foi realmente o chassi W201 com os modelos 190 E, 190 D, 190 E 2.3, 190 E 2.6. Esse chassi foi o primeiro a ser destinado aos jovens empresários europeus que ainda não possuíam condições financeiras para adquirir os modelos mais luxuosos, porém não abriam mão de ter um MERCEDES-BENZ.

A partir de 1994, a MERCEDES-BENZ simplificou o posicionamento dos modelos criando as famosas classes: C Class (substituindo os 190 E), E Class e S Class foram criadas. A MERCEDES-BENZ foi a primeira das marcas de luxo a lançar um SUV no final da década de 90, inaugurando uma nova geração Off-Road com a M Class. Em 1998 a empresa comprou a tradicional montadora americana Chrysler, formando a gigante DaimlerChrysler. Porém a união provou, no decorrer dos anos, ser extremamente prejudicial à marca MERCEDES-BENZ, que começou a ter grandes prejuízos financeiros em virtude da burocrática e envelhecida montadora americana. A união entre as duas montadoras viria a terminar no dia 14 de maio de 2007 separando assim as duas empresas.

Durante toda sua história a MERCEDES-BENZ sempre teve um papel fundamental no desenvolvimento de tecnologias que visam dar mais segurança aos automóveis. Muitas das visões inovadoras se tornaram realidades de forma pioneira em automóveis da marca alemã. Dentre essas inovações estão o sistema antibloqueio de freios ABS (1978), o air-bag (1980) e o programa eletrônico da estabilidade conhecido como ESP (1995). Hoje em dia, o novo sistema de segurança contra acidentes, batizado de Pre-Safe®System, que prepara o carro e seus ocupantes para a colisão agindo por antecipação para tensionar os cintos de segurança, reposicionando os bancos dianteiros (eletricamente ajustáveis) para uma posição mais favorável, além de fechar o teto solar se houver o risco de capotamento; o detector de sonolência; o monitor de veículo em ponto cego; o detector de movimentos bruscos e muitos outros sistemas de auxílio fazem dos automóveis MERCEDES-BENZ os mais seguros no mundo.

Esse papel de pioneirismo que a montadora alemã vem imprimindo no universo automotivo é refletido com mais de 80 mil pedidos de registro de patentes. A marca da estrela de três pontas, em 125 anos de história, não abandonou os princípios de seus fundadores, demonstrando que mantém viva as afirmações: “O amor pela invenção nunca morre” (Carl Benz) e “O melhor ou nada” (Gottlieb Daimler).

Carros Relacionados