AUSTRO-DAIMLER

Em abril de 1900, o austríaco Emil Jellinek, empresário e Cônsul do Império Austro-Húngaro em Nice, e a DMG, chegam a um acordo para a comercialização de veículos e motores Daimler, e funda a Austro-Daimler em Mônaco para importar e comercializar os automóveis Daimler na Áustria e na França, fazendo um pedido de 36 automóveis, com a condição de ter os direitos exclusivos para distribuí-los na Áustria-Hungria, França, Bélgica e nos Estados Unidos sob o nome de Mercedes.

Emil Jellinek, aficionado nas competições automobilísticas, que participava com o pseudônimo Mercedes (que era o nome de sua filha menor), levou à fábrica da Daimler durante esses anos, numerosas ideias que se refletiram posteriormente nos automóveis.

Em 1905 a Austro-Daimler oferece uma tentadora oferta de trabalho a Ferdinand Porsche, que naquela época trabalhava na pequena “Lohner” e tinha então 30 anos e já era famoso. A Áustria lhe havia outorgado o prêmio Poetting por sua contribuição à indústria automobilística de seu país. A Austro-Daimler tinha suas oficinas em Wiener-Neustadt.

Em 1906 Ferdinand Porsche é nomeado Diretor Técnico e membro do Conselho da Austro-Daimler. Assim que assumiu seu cargo, Porsche reorganizou as linhas de produção e mandou construir novas instalações com um revolucionário teto de cristal.

O produto principal da Austro-Daimler sob a direção de Porsche foi o Maja, carro batizado em homenagem a uma das filhas de Emil Jellinek, mais adiante outra das filhas de Jellinek deu nome ao automóvel de luxo alemão da Daimler de Stuttgart, o Mercedes, mas isso já é outra história.

O Maja era um automóvel pequeno no qual Porsche utilizou pela primeira vez o motor à combustão interna pura, e encontrou mercado na Áustria. Era um motor de quatro cilindros que gerava 32 cv de potência, com uma transmissão de quatro velocidades.

No ano de 1909, a Austro-Daimler nas mãos de Porsche, lançou um automóvel de passageiros inteiramente novo. Era equipado com um motor a gasolina de 32 cv e uma transmissão de 4 velocidades. Opcionalmente, podia ser solicitado com transmissão por correntes ou por cardã. O Imperador Francisco José e a Rainha da Bulgária o adotaram imediatamente como seu veículo particular.

Nesse mesmo ano, Porsche querendo mostrar seus projetos, inscreveu seus carros nas competições. A primeira prova de importância em que participou, foi a corrida do príncipe Heinrich, que além de uma corrida era uma prova de resistência de uma semana de duração em grande parte de Europa Central (Berlin, Breslau, Budapest, Salzburg, Munich). Os três automóveis da Austro-Daimler, pilotados por Ferdinand Porsche, Eduard Fischer e Hugo Boos-Waldeck, ganharam os prêmios máximos.

Para as competições do ano de 1910, a Austro-Daimler, ainda sob o comando de Porsche, apresentou um automóvel verdadeiramente excepcional, o Prinz Heinrich-Wagen que desenvolvia 86 cv de potência e alcançava os 140 km/h. O modelo deixou assombrados os participantes e espectadores durante as corridas, pois se tratava de um automóvel com muita aerodinâmica (carroceria tipo torpedo, a qual Porsche denominou “Tulpenform”, por sua forma de tulipa) em comparação com os “caixotes retangulares” que corriam naquela época. Sua carroceria seguia linhas ininterruptas, e para melhorar a aerodinâmica, os faróis eram rebatíveis e o radiador de água tinha formas arredondadas.

Os automóveis da Austro-Daimler ganharam 12 das 17 provas, e em 3 delas obtiveram os três primeiros lugares entre 170 participantes, e a equipe de Porsche, que havia conduzido pessoalmente o primeiro dos automóveis, era conhecida como “Eisen-team”, recebendo as felicitações do Imperador Francisco José. Evidentemente, a Austro-Daimler estava muito satisfeita com Ferdinand Porsche.

Em 1923 Ferdinand Porsche se demite de seu cargo após uma discussão sobre questões financeiras, abandonando a empresa para ingressar na Daimler Motoren AG de Stuttgart, que posteriormente se uniu à casa Benz em 1926.

Os modelos Austro-Daimler, da época de Porsche, seguiram competindo com sucesso até pouco antes do inicio da 1ª Guerra. No entanto, a partir da fusão entre a Austro-Daimler e a Puch isto não foi mais possível.

Em 1928 a Austro-Daimler se funde com Puch para formar a Austro-Daimler-Puch Werke AG.

Em 1934 a Austro-Daimler-Puch se funde com a Steyr e surge a Steyr-Puch (Steyr-Daimler-Puch).

Uma curiosidade

Se a idade do Volkswagen fosse calculada como deveria ser, ou seja, a partir da data em que foi concebido e não da data que foi fabricado, deveríamos voltar ao início da década dos anos 20. Foi na Austro-Daimler, pouco depois de terminar a 1ª guerra mundial, onde Ferdinand Porsche pensou pela primeira vez em seu carro para o homem da rua, seu “carro do povo”.

Carros Relacionados