LADA

Eles são vistos rodando constantemente em cidades como Praga, Havana, Moscou e Bucareste, fazendo parte da paisagem urbana. Com formas quadradas, considerados antiquados por muitos e pouco eficientes, os automóveis da marca LADA conquistaram seu lugar no mercado automobilístico mundial.

Tudo começou em 1966, quando foi assinado um acordo entre a montadora italiana Fiat e o Conselho Ministerial da então URSS, para a formação de uma nova fábrica para a produção de automóveis populares, batizada com o nome de VAZ (Volzhsky Automobilny Zavod ou Fábrica de Automóveis do Volga), que seria construída ao lado do Rio Volga, a sudeste da cidade de Moscou.

Este local é agora o terceiro maior complexo automotivo-industrial do mundo. A fábrica foi construída em menos de quatro anos por mais de 45 mil trabalhadores. Começou sua produção no mês de abril de 1970 com a introdução do Zhiguli ou VAZ 2101, um sedan de quatro portas, nada mais que o Fiat 124 feito sob licença da marca italiana. O sedan, comercializado com a marca Zhiguli (e posteriormente LADA), representou para os soviéticos o mesmo que o Volkswagen para os alemães ou o Citroën 2CV para os franceses: a massificação do automóvel. A VAZ se notabilizou por ser uma fábrica altamente verticalizada, onde praticamente tudo era produzido por ela, de carburadores a vidros. Era uma organização industrial em que eficiência não era a maior preocupação.

A primeira aparição de um automóvel que carregava a marca LADA, o modelo 1200 Saloon, aconteceu no ano de 1973 no Salão de Londres causando estranheza em virtude do baixo preço. A marca LADA foi escolhida pela fácil pronúncia para exportar automóveis da montadora russa. Da sinergia entre os soviéticos e os italianos da Fiat surgiram carros como os LADA 1300 e 1500, todos derivados do Fiat 124, entre outros modelos posteriores que propiciaram a um número bem maior de russos ter acesso a um carro próprio. As más condições das vias e o inverno de temperaturas muito rigorosas no país, porém, pediam uma opção de veículo fechado para todo tipo de terreno.

Foi então, que o modelo de maior sucesso, e que tornou a LADA conhecida mundialmente, foi apresentado ao mercado em 1976: o LADA 2121, mais conhecido internacionalmente como NIVA (que significa ‘Campo’ em russo), um jipinho utilitário compacto 4x4 com linhas simples e retas e motor de 1.6 litros a gasolina, e primeiro projeto da montadora russa a não utilizar um modelo da Fiat como base. Rústico e competente, o NIVA cumpriu seu potencial aventureiro como um dos primeiros utilitários esportivos.

O modelo foi um dos carros mais marcantes já criados pela indústria soviética, tanto que até hoje esse projeto original é produzido. Mundo afora, ele é talvez a primeira imagem que vem à mente quando se fala em carro russo. A década de 80 foi marcada pela diversificação de sua linha de produtos com o lançamento, em 1980 do LADA RIVA, automóvel baseado no Fiat 124; em 1983, do mini carro urbano LADA OKA; e em 1984, do sedan compacto LADA Samara, primeiro automóvel de tração dianteira produzido pela montadora.

Além disso, o aumento das exportações, especialmente para países do chamado leste europeu, transformaram os automóveis da marca LADA em símbolos do estilo de vida urbana. Rapidamente os automóveis da montadora russa podiam ser vistos rodando em todos os continentes, incluindo a Antártida, onde as bases russas de exploração utilizavam o jipe NIVA para desbravar o ambiente gelado. Devido ao preço baixo e a simples manutenção, os automóveis LADA foram largamente utilizados como táxis, veículos de polícia e utilitários para serviços públicos. Os anos 80 também ajudariam a estabelecer mundialmente o nome LADA NIVA, graças a suas marcantes passagens pelo automobilismo em competições de renome Somente no ano de 1995 surgiria um importante acréscimo à linha NIVA.

Chamado no mercado russo de 2131, a versão estendida do modelo oferecia duas portas a mais - e muito espaço interno. No ano seguinte foi lançado o LADA 110, um carro de porte médio. Desde o final dos anos 90 se falava no ‘novo LADA NIVA’, batizado de projeto VAZ 2123. O desenho moderno e arredondado prometia inovações, mas na verdade escondia a mecânica quase toda emprestada pelo modelo tradicional. O protótipo só se tornou realidade com a associação da montadora russa com a GM, formada em 2001, mesmo ano em que a montadora ultrapassou a marca de 21 milhões de LADA produzidos desde seu lançamento. Em setembro do ano seguinte começou a ser produzido o Chevrolet Niva, improvável união de um dos nomes mais famosos da indústria americana com um ícone da indústria russa.

A parceria com a GM não só possibilitou à montadora russa ter um produto novo e de qualidade como também lhe deu fôlego para projetar no mercado um novo veículo, o LADA Kalina, lançado no ano de 2004 nas versões hatch, sedan e perua. Uma das últimas novidades da montadora russa foi lançada em 2007 como o sedan compacto de cinco portas chamado LADA PRIORA, que nos anos seguintes ganharia as versões perua e hatch. No mês de maio de 2008, a montadora francesa Renault comprou por US$ 1 bilhão aproximadamente 25% da AvtoVAZ. Com isso, a montadora russa recebeu conhecimento gerencial e tecnologia da RENAULT.

Carros Relacionados