MAZDA

Desde os primórdios da história da indústria automobilística sempre existiram fabricantes que se destacaram por fugir do lugar-comum, por empregar técnicas de produção, tecnologias e desenhos singulares, em dissonância com as notas dominantes da maioria das marcas no mercado. A japonesa MAZDA foi uma destas, especialmente com seu roadster MX-5, que se tornou um ícone da indústria automobilística.

O nome MAZDA teve origem em Ahura Mazda, o mais importante Deus zoroastra da razão, que concedeu sabedoria e uniu o homem, a natureza e os outros deuses. Do mesmo modo, é bastante parecido com a fonética do nome do fundador da empresa, Jujiro Matsuda, que fundou a empresa no dia 30 de janeiro de 1920 com o nome de Toyo Cork Kogyo Co Ltd, inicialmente para produzir cortiça e rolhas. Em 1927 encurtou seu nome para Toyo Kogyo Co; em 1929 iniciou a fabricação de máquinas e ferramentas; e pouco depois, em 1931, finalmente começou a produção de um veículo de carga de três rodas, batizado de MAZDA-GO, um misto de motocicleta e caminhão, que foi exportado para países como China e Índia, já em 1932.

Somente no ano de 1934 nasceu o primeiro logotipo da marca com o nome MAZDA. Durante a Segunda Guerra Mundial a empresa passou a produzir armamentos para o exército japonês, como por exemplo, o rifle Tipo 99, que se tornou extremamente conhecido. Depois do término do conflito, a empresa que teve suas instalações seriamente destruídas, mas uma das poucas que ficou em pé, começou sua reconstrução iniciando novamente as exportações em 1949 para a Índia.

No final da década de 50, a montadora introduziu no mercado o MAZDA ROMPER, um pequeno e durável caminhão que faria um sucesso considerável, sendo o primeiro automóvel de quatro rodas a ser produzido em série pela montadora. O primeiro automóvel de passageiros da marca, o MAZDA R-360, um pequeno coupe de dois lugares com motor V2 traseiro, que conseguia atingir a velocidade máxima de 90 km/h, surgiu somente em 1960; seguido no ano seguinte pela pick-up compacta B-SERIES 1500; e do MAZDA CAROL 600, primeiro automóvel de quatro portas da montadora, introduzido em 1962.

No ano seguinte, além da produção acumulada de automóveis atingir um milhão de unidades, a MAZDA introduziu no mercado sua primeira van destinada ao uso familiar, e em 1966 surgia a van comercial chamada BONGO. Em 1967 a MAZDA começou a exportar em larga escala para o continente europeu, além de estabelecer escritórios de vendas na Austrália. Nesse ano também foi lançado no mercado o MAZDA COSMO 110S, primeiro automóvel da marca a receber um motor rotativo Wankel, que por ser um motor de combustão interna utilizava um rotor ao invés de pistões. Esse motor possuía um peso muito menor e a mesma potência que um motor normal, mas com cilindrada inferior. Foi com esse modelo que a MAZDA estreou nas competições esportivas em 20 de outubro de 1968, na maratona de resistência de 84 horas em Nürburgring na Alemanha.

Ainda nesse mesmo ano, foi a vez da pick-up B-2500, que vendeu mais de 3 milhões de unidades até os dias de hoje, estrear no mercado. Este ano também foi marcado pelo início da produção de automóveis em uma fábrica na Malásia para atender a crescente demanda mundial por seus veículos. Em 1969 a MAZDA firmou uma parceria com a Ford e a Nissan, dando início a uma joint-venture para produzir caixas de transmissão automáticas. A incorporação do motor Wankel em vários modelos levou a MAZDA, na década de 70, a ser reconhecida como uma marca de alta performance. E foi justamente no início dessa década que os números da montadora japonesa começaram a crescer: em 1970 iniciou a exportação de seus automóveis para o enorme mercado americano, e, em 1972, atingiu a produção de 5 milhões de carros em sua história.

Vários modelos ajudaram a construir a reputação da empresa nesta década, entre os quais, o coupe compacto FAMILIA e o grande CAPELLA, introduzidos em 1977; além do MAZDA RX-7, um esportivo equipado com motor de 260 cv de potência, que teve importância fundamental em estabelecer a montadora no segmento de carros esportivos, ficando extremamente conhecido no Brasil quando apareceu na série Jaspion. No final dessa década, depois de um baixo volume de vendas, a montadora começou a enfrentar sua primeira grande crise financeira. Para tentar escapar da crise a MAZDA assinou um acordo com a Ford, onde a montadora americana adquiriu 25% de suas ações, vindo a aumentar sua participação para 33.4% em 1996.

Nos anos seguintes, tanto a Ford como a MAZDA lançaram modelos em conjunto, alterando o seu nome dependendo do mercado. Nos anos 80 a montadora, que adotou oficialmente o nome de MAZDA MOTOR CORPORATION em 1984, assistiu seu volume de vendas passar a um patamar muito mais elevado, graças ao apoio da Ford, e principalmente com o lançamento de MAZDA MX-5 em 1989, que se tornaria um campeão mundial de vendas no segmento esportivo de dois lugares, proporcionando ao mercado um roadster a preços mais acessíveis.

A década seguinte tem início, em 1991, com um MAZDA 787-B vencendo a tradicional prova das 24 Horas de Le Mans, sendo a primeira vitória na competição de um fabricante japonês e a única vitória alcançada por um motor rotativo. Apesar do bom início nesta década, a MAZDA começou novamente a ter prejuízos financeiros. As boas vendas no mercado europeu não serviam para cobrir as perdas financeiras no mercado japonês e americano, especialmente devido à crise asiática de 1997.

Sob o comando de Henry Wallace, a MAZDA foi completamente reestruturada, dando início ao desenvolvimento de novos e avançados automóveis. O novo século coincidiu com a saída do carro de nº 35 milhões da linha de produção. Foi também nesta época que a MAZDA lançou sua famosa campanha corporativa, denominada ‘Zoom-Zoom’, ressaltando de uma forma criativa à agilidade de seus veículos e diretriz visual que serviria como inspiração para o desenvolvimento de sua nova geração de veículos.

Em 2012 a MAZDA apresentou o primeiro veículo de uma nova geração, o CX-5. Este foi o primeiro modelo a adotar a TECNOLOGIA DE NOVA GERAÇÃO SKYACTIV (um conceito aplicado à inovação, otimizando a engenharia no que se refere à redução do peso dos veículos e aos motores de combustão interna, tornando-os muito mais eficientes e sustentáveis) e o design ‘KODO - a Alma do Movimento’ (exprime o poder, a estabilidade e a força), que irão personificar todos os veículos da marca, causando uma pura sensação de prazer na condução.

Carros Relacionados