07/04/2021 - PORSCHE 911 GT3: APERFEIÇOAMENTO TÉCNICO PARA MELHOR PERFORMANCE

O novo Porsche 911 GT3 é repleto de destaques técnicos. Durante o desenvolvimento, os engenheiros buscaram um objetivo em particular: melhorar ainda mais o desempenho do carro esportivo de alta performance sem comprometer a usabilidade diária. A cooperação entre os técnicos de desenvolvimento de série e os especialistas do departamento de automobilismo desempenhou um papel extremamente importante aqui. “Quando temos os mesmos engenheiros que desenvolvem nossos carros de corrida trabalhando também no design de um novo GT para estrada, isso representa a mais direta transferência de tecnologia que posso imaginar”, explica Andreas Preuninger, Diretor da Linha de Modelos GT.

Mais de 160 horas de aperfeiçoamento no túnel de vento

O progresso tecnológico na área da aerodinâmica é particularmente evidente. É a primeira vez que um aerofólio traseiro suspenso é instalado em um carro de produção em série da Porsche. Seu suporte tipo pescoço-de-ganso é usado de forma semelhante no carro de corrida GT 911 RSR e no carro de corrida 911 GT3 Cup. Já que agora dois suportes de alumínio sustentam o aerofólio, o ar flui perfeitamente por baixo dele, que é aerodinamicamente mais suscetível. Este novo design levou a uma redução de perda de sustentação e não apenas aumentou o downforce, mas também resultou em condições de sustentação negativa bem equilibradas, juntamente com muitas outras medidas aerodinâmicas detalhadas. “Desenvolvemos a aerodinâmica do novo 911 GT3 em cerca de 700 simulações. Passamos mais de 160 horas aperfeiçoando o carro no túnel de vento”, explica o engenheiro de aerodinâmica Mathias Roll. O ângulo de ataque do novo aerofólio traseiro pode ser definido em quatro posições diferentes. Respectivamente, o difusor dianteiro também pode ser ajustado em quatro posições. “O novo 911 GT3 gera 50% mais downforce do que seu antecessor a 200 km/h apenas na configuração ex-works. No cenário com máximo downforce, o aumento chega a mais de 150%”, acrescenta Roll. Da mesma forma que nas situações de automobilismo, o equilíbrio aerodinâmico do novo 911 GT3 pode ser adaptado individualmente às condições da pista e ao estilo de direção individual. “Não apenas os componentes são muito semelhantes aos usados em nossos carros de corrida, mas os métodos de desenvolvimento também são semelhantes”, explica o engenheiro de aerodinâmica. “Em nosso túnel de vento ultramoderno em Weissach, não dirigimos somente em linha reta, mas simulamos todas as situações de direção possíveis. Fazemos o carro rolar, inclinar e guinar para simular as influências físicas da pista”.

Motor de alta rotação com o DNA do automobilismo

A testagem no local de testes durante o desenvolvimento do motor naturalmente aspirado de 4.0 litros e de alta rotação foi ainda mais demorada. “No total, o motor do novo GT3 funcionou por mais de 22.000 horas no local de testes. Durante os testes, simulamos repetidamente perfis de circuito típicos e operamos o motor em aceleração total em uma boa parte do tempo”, explica Thomas Mader, Gerente de Projeto dos Motores de Carros de Estrada GT. O motor, que responde imediatamente quando o acelerador é pressionado, é baseado no motor de corrida do carro de corrida GT3 911 GT3 R, e também é usado praticamente sem alterações no 911 GT3 Cup. Com 510 cv, sua saída é 10 cv maior do que no modelo GT3 antecessor. Entrega potência máxima a 8.400 rpm e o limitador eletrônico apenas ativa essa capacidade excepcional de rotação a 9.000 rpm. O torque máximo aumentou de 460 para 470 Nm.

Como no automobilismo, a atuação precisa da válvula em altas rotações é executada por meio de balancins rígidos. A tecnologia comprovada VarioCam garante o controle do eixo de comando adaptado com precisão à velocidade do motor e às condições de carga. Um virabrequim com grandes diâmetros de rolamento, rolamentos de biela largos e camisas de cilindro revestidas com plasma garantem menores perdas por atrito e desgaste. “O sistema de válvula de aceleração individual é retirado diretamente do automobilismo e melhora significativamente a capacidade de resposta”, diz o especialista em motores Mader.

As elevadas potências de aceleração longitudinal e lateral produzidas pelo novo 911 GT3 em pistas de corrida significam que o suprimento de óleo para o motor de alta rotação é de particular importância. No automobilismo, isso é realizado por um sistema de lubrificação de cárter seco com tanque de óleo separado. Com um total de sete estágios de sucção, direciona o óleo do motor de volta para o reservatório externo de forma rápida e eficiente, enquanto a lubrificação dos rolamentos da biela altamente carregados ocorre diretamente via bomba de óleo através do virabrequim. “O motor de nosso carro de corrida 911 GT3 Cup difere essencialmente em apenas dois componentes: o sistema de escapamento e a unidade de controle do motor. Todo o resto é idêntico”, explica Mader.

O motor do novo 911 GT3 também foi testado pelos engenheiros e pilotos de teste fora do local de testes. “Realizamos 600 testes de emissões durante o desenvolvimento para atender às mais rígidas normas”, diz Thomas Mader. Padrões muito rígidos também foram aplicados em termos de durabilidade do motor: que devia funcionar perfeitamente em um trecho contínuo de mais de 5.000 quilômetros no oval de Nardo, na Itália, a uma velocidade constante de 300 km/h, parando apenas para reabastecer.

Confira as Fotos